17/09/2019

Posições apresentadas pelos partidos foram esclarecedoras sobre o que defendem para o futuro

A FENPROF promoveu um debate com os partidos que têm representação parlamentar para que apresentassem as posições e propostas que têm para a Educação.

Este debate sobre as questões da Educação (Educação Pré-Escolar, Ensino Básico e Ensino Secundário) ocorreu em 12 de setembro e, com exceção do CDS-PP, que alegou indisponibilidade, todos se fizeram representar, através de responsáveis pela área da Educação: PSD – David Justino; PS – Odete João; BE – Joana Mortágua; PCP – Ana Mesquita; PEV – Mariana Silva; PAN – Rui Prudêncio. O debate foi moderado pela jornalista Ana Kotowicz. 

Foi um debate esclarecedor sobre o que os partidos defendem para aspetos tão importantes para os professores como a carreira, a recuperação integral do tempo de serviço congelado, o regime de vagas para progressão aos 5.º e 7.º escalões, o regime de concursos, a vinculação, a gestão das escolas ou o processo de municipalização, entre muitos outros assuntos que foram abordados. 

Este debate será agora profusamente divulgado junto dos professores e educadores, no sentido de dar a conhecer as posições e propostas eleitorais dos partidos políticos. 


Ver video

https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=l9JP9fjSrQU


foto

Posições apresentadas pelos partidos foram esclarecedoras sobre o que defendem para o futuro

A FENPROF promoveu um debate com os partidos que têm representação parlamentar para que apresentassem as posições e propostas que têm para a Educação.

foto

AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR

A FENPROF apresentou esta manhã aos jornalistas o Parecer com uma primeira análise ao projeto de...

foto

VALORIZAR A EDUCAÇÃO E OS SEUS PROFISSIONAIS. 2017/2018: TEMPO DE RESOLVER PROBLEMAS

Na abertura de mais um ano lectivo, a questão da colocação dos professores continua a merecer grande...

foto

ME diz não ter disponibilidade de agenda para reunir com a FENPROF em maio

No ato de entrega, no Ministério da Educação, de mais de 12.000 postais de professores e educadores reclamando a aprovação de um regime especial de aposentação, a FENPROF foi informada por um elemento do gabinete do próprio Ministro de que, até ao final de maio, o governante não tem espaço na sua agenda para reunir com os professores. Uma reunião cujo objetivo é o de ser assumido um compromisso em torno de 4 grandes questões: vinculação, horários de trabalho, aposentação e descongelamento das carreiras.